Eu, Tu e os meus sapatos

Louca pela vida. Louca por ti. Louca por escrever. Louca por sapatos.

Últimos posts

tudo o que vou dizendo por aqui

9 anos de casamento quase 19 de namoro

E todos os anos não deixo de me surpreender com a velocidade do tempo… Como 9 anos de casamento? Como? Mais, como dezanove anos de namoro? Não pode! É impossível! Ainda ontem estava correr para apanhar o comboio depois do primeiro beijo! Foi ontem! Quais dezanove anos? Não pode ser. Não pode. O tempo não pode correr assim. Não pode. O para sempre tem de tardar mais porque, não tenho

Continue reading…

Today’s Details

Meses. Há meses que tinha este fato-de-banho por estrear a chamar por mim na gaveta. Quando me foi oferecido pela Joana, criadora da Hopiness, recebi logo o aviso “não é para vestires agora!”… Sabem, acho que a Joana está a precisar de óculos porque eu parecia um pequeno cachalote em Maio que foi quando ela me deu esta miniatura linda de fato-de-banho preto. E, mesmo sem ter experimentado, quase que

Continue reading…

Dar mama não é fashion

Dar mama não é fashion. A sério. Não pode ser. Dar mama não permite vestir tudo e mais alguma coisa. Quer dizer, a pessoa até consegue safar-se com não um, não dois, não três mas!, vários conjuntos nas Zaras deste mundo e afins, só que não é assim à vontadinha. Tem de filtrar e pensar e ponderar e isso, sem sombra de dúvida, não pode ser fashion. Dar mama não

Continue reading…

De férias também faz parte.

Já dizia o ditado “quem tem filhos, tem cadilhos”… E nós cá por casa curtimos levar o provérbio à letra assim até à exaustão. Nas últimas férias por terras do Sul, há sensivelmente 3 meses, a donzela achou por bem desenvolver uma bicheza tal na pele que ficou com a zona perioral completamente desgraçada. Assim num estado lastimável. Valeu-nos a coincidência da mãe da menina que brincava com a Maria

Continue reading…

Parabéns Nídia.

Nunca publiquei uma fotografia da minha irmã na fase mais difícil da leucemia. Quando já estava exausta, dorida, sofrida. Desfigurada. Esta não era a minha irmã. Na verdade, muito antes, já não o era. Física, emocional e psicologicamente. Corrijo. Já não era a minha irmã de antes. Era uma nova. A que ganhei quando a leucemia apareceu e me levou a que tinha. A cabra da leucemia corrói, deforma e

Continue reading…

Sobre o cansaço?

Tive tantos exemplos (e tenho). A minha irmã padeceu e morreu de uma as doenças mais difíceis. A minha irmã fez dos tratamentos de quimioterapia mais agressivos que existem. A minha irmã soube que ia morrer. A minha irmã nunca se rendeu. Nunca se rendeu à dor, ao sofrimento, à exaustão. Que direito tenho eu – temos nós, de o fazer? Bem, temos esse direito sim. O direito à rendição.

Continue reading…

Today’s Details

Dizem que este é um dos vestidos mais populares da Zara. Ao que parece até tem a sua própria página no Tumblr. Eu só sei que no ano passado quando o comprei só tive oportunidade para o usar uma vez. Vai daí, este ano tenho abusado. Comecei a vesti-lo ainda em modo pequena baleia e continuo agora em modo pequena vaca leiteira (estas “mangas” são fabulosas para puxar para baixo).

Continue reading…

#booklover | Polícia

Continuo na saga dos policiais. Dos policiais nórdicos. Será que é o frio (quase) permanente e a (quase) ausência de Sol que fazem daquela malta excelentes criadores de mentes perturbadas e totalmente maléficas?  Será que é o ambiente que por um lado sugestiona histórias macabras e que, por outro, leva a um estado de clausura física (e emocional) permitindo o desenvolvimento de enredos em teia, embrulhados e difíceis de decifrar?

Continue reading…

Um mês de Rodrigo

E no dia em que fazes dois meses, o registo do primeiro mês… Como? Como é que já se passaram estas semanas? Os dias não correm, fluem. Entre beijos e colos. Mimos e sorrisos. Passeios e brincadeiras. E agradecimento. Por ti. Por vocês. Por tudo. [babycard Happiness Is]

Setembro está quase aí…

E em Setembro desce em mim desde sempre uma qualquer melancolia… Vem de mansinho e acolho-a como quem recebe o abraço de um amigo que regressa de uma viagem longa. Não é a sensação do fim do Verão que todos celebram (ou receiam)… Não. Para mim é Verão enquanto houver sol. E Setembro será sempre o meu (nosso) mês de pausa. De férias. De praia. Não. Este estado melancólico não

Continue reading…