Eu, Tu e os meus sapatos

Louca pela vida. Louca por ti. Louca por escrever. Louca por sapatos.

O tal do Marçagão

Março, marçagão, manhã de Inverno, tarde de Verão.

M-E-N-T-I-R-A! (ler com o ritmo da estrofe do João Pedro Pais “mas é mentira, mentiiiira!”)

Onde? Onde é que anda o marçagão do ditado popular, hein? Onde? Digam-me onde foi avistado pela última vez que eu vou lá ter com ele e convido-o a visitar comigo a casa-de-banho do restaurante mais próximo para levar uma bela de uma ensaboadela. E, se não atina, ainda fica sem ir às festas de aniversário dos amigos. Juro!

Ora, toooodos os anos, TODOS, todos os anos há uma semaninha em Março maravilhosa, assim de Verão, mesmo mesmo mesmo boa! Daquelas de esplanadas e praia, de pernas ao léu e sandálias novas. Espera, é que não é só a semaninha. Lembram-se do ditado? Tem (tinha) o seu quê de razão… Toooodos os anos ainda nos apareciam essas tardes maravilhosas. As tais do marçagão. As tais que no ano da graça do senhor – este – dois mil e dezoito, nem vê-las!

Então – e não querendo crer que as alterações climáticas e o são pedro se reuniram e conspiraram com o intuito único de me azucrinar, por obra de quem é que neste Março, logo neste, aquele em que estou em casa, precisamente nos últimos dias de uma curtíssima vida de dondoquice de nove meses, está este tempo do catano, hum? Por quê? Por quê? Por quê?

A pessoa está a dias, dias senhores, de regressar à vida activa (quer dizer, a bem da verdade, activa já ela é, mas pronto, vocês entendem) e em vez de se andar a promener com o gaiato, apanhando banhos de sol numa qualquer esplanada da linha, fazendo umas belas caminhadas por aqui junto ao rio, levando a gaiata a comer um gelado à Conchanata,… não. Nada. Em vez disso, a pessoa está em casa, a reclamar porque já teve a tulha da roupa quase vazia e agora a maldita assemelha-se a uma qualquer caixa de pandora, a reclamar porque tirar o gaiato de casa com este dilúvio só com uma arca de noe estacionada na garagem, a reclamar porque o palerma do poupas que está à frente dos USA ainda diz que as alterações climáticas são um mito.

Onde? Onde é que se enfiou o Marçagão?

(malta preocupada com a seca e coiso e tal, escusais de vir afoitos que isto é um texto sarcástico, sim? ide ver ao priberam o que significa sarcasmo, combinado?)

4 Discussions on
“O tal do Marçagão”

Leave A Comment

Your email address will not be published.